Autoridades do Panamá negam entrada de defensores de direitos humanos de Honduras

Nós, delegadas e delegados de 22 países da América e da África, que conformamos o Movimento de Afetados por Represas na América Latina, diante da comunidade internacional denunciamos que no dia 22 de setembro, as autoridades de migração do Panamá negaram o acesso a uma delação de sete companheiros e companheiras procedentes de Honduras e integrantes do Conselho Cívico de Organizações Populares Indígenas de Honduras (COPINH) e do Movimento Amplo pela Dignidade e Justiça, que foram convidados pela Universidade do Panamá a participar do Encontro continental na Cidade do Panamá, de 24 a 27 de setembro de 2019.

Neste sentido denunciamos o argumento classista e discriminatório utilizado pelas autoridades panamenhas para negar a entrada de nossos companheiro a seus países. Já que os mesmos iam unicamente ser participantes de um evento justo e necessário para a construção de toda a América.

Desde o MAR nos solidarizamos com nossas companheiras e companheiros hondurenhos que foram deportados a Honduras sem sequer entrar em contato com a universidade, onde os mesmos tinham as cartas convite.

Movimiento de Afectados por Represas de Latinoamérica (MAR)
Red Nacional en Defensa del Agua en Panamá

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A seguir

Entidades feministas e MCP passam a compor a Rede Jubileu Sul

Entidades feministas e MCP passam a compor a Rede Jubileu Sul