Jubileu Sul Brasil repudia invasão à embaixada venezuelana no Brasil

A Rede Jubileu Sul Brasil expressa seu total repúdio à invasão da Embaixada venezuelana em Brasília (DF), por um grupo de apoiadores de Juan Guaidó, o deputado que se autoproclamou presidente da Venezuela, em janeiro deste ano.

Na madrugada de 13 de novembro, um grupo fardado e não identificado, invadiu a embaixada da Venezuela no Brasil, tentando intimidar as funcionárias e funcionários do governo legítimo de Nicolás Maduro, e tentando reconhecer uma embaixadora do golpista Juan Guaidó. A área invadida também é residencial, e nela moram famílias com crianças e funcionários da embaixada.

A Rede Jubileu Sul Brasil expressa seu total repúdio à invasão da Embaixada venezuelana em Brasília (DF), por um grupo de apoiadores de Juan Guaidó, o deputado que se autoproclamou presidente da Venezuela, em janeiro deste ano.

Trata-se de um crime. Uma violação do tratado diplomático internacional, da Convenção de Viena. Trata-se também da violação dos direitos das famílias que moram na embaixada, que é território venezuelano, por tanto, é um lugar soberano, assim como toda a Venezuela.

Queremos reiterar a denúncia feita pelo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza: “Denunciamos que as instalações de nossa embaixada em Brasília foram invadidas à força nesta madrugada. Responsabilizamos o governo do Brasil pela segurança de nosso pessoal e das instalações. Exigimos respeito à Convenção de Viena sobre relações diplomáticas”. Essa denúncia deve ser dirigida à ONU.

A direita e a extrema direita avançam sobre nossos países.  O neoliberalismo não quer deixar nem uma leve brisa sobre os povos e responde com uma escalada de desestabilização política e de deslegitimar governos democraticamente eleitos.  Aprofundam os mecanismos de dominação: tradicionais exércitos, polícias ou milícias, e um forte fundamentalismo religioso.

Neste cenário, não há espaço para outra atitude, se não a organização.  Precisamos enfrentar com coragem, determinação e solidariedade tal contexto, e junto aos companheiros e companheiras de Haiti, Chile e Bolívia que estão em luta, que estão nas ruas. Este é o momento de nos unirmos em luta por nossa América Latina e Caribe.

Defendemos a autodeterminação dos povos.  Defendemos a soberania da Venezuela! Exigimos que o governo brasileiro cumpra as regras internacionais no trato dessas questões. 

Pela soberania dos povos
Não devemos
Não pagamos
Somos os povos, os credores.

América Latina e Caribe, 14 de novembro de 2019

A seguir

JSA marca presença em Encontro Antimperialista e defende Reparações para Haiti e Porto Rico

JSA marca presença em Encontro Antimperialista e defende Reparações para Haiti e Porto Rico