Ato denuncia extermínio da juventude em Fortaleza

“Juventude que ousa lutar constrói o projeto popular” foi o tema da 19ª edição do Grito dos Excluídos, realizado na tarde de ontem, na comunidade Poço da Draga, onde está sendo construído o Acquario. Em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, cuja temática é “Fraternidade e Juventude”, o ato objetivou mostrar que a juventude de Fortaleza está sofrendo verdadeiro extermínio com as drogas e a violência.

“Viemos a este local para dizer que grandes obras não deveriam estar em primeiro lugar. Existem políticas muito mais sérias, necessárias e urgentes a serem realizadas. É necessário que se veja a vida, a dignidade, as necessidades básicas das pessoas. Se constroem obras faraônicas para turistas verem, para dar lucro aos grandes empresários. Mas, a população merece ser ouvida. É este o grito que erguemos nesta tarde”, salienta Dom Vasconcelos, bispo auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza.

O Grito dos Excluídos reuniu pastorais, movimentos sociais, comunidades e pessoas engajadas com a causa. Participantes da 5ª Semana Social Brasileira (SSB), promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), acreditam que as remoções de milhares de famílias em Fortaleza para dar lugar a grandes obras visando às Copas das Confederações e do Mundo são uma grave violação aos direitos humanos.

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1315546

Foto: José Leomar