Impactos da militarização e do endividamento sobre a vida das mulheres: roda de conversa com Nora Cortiñas, uma das fundadoras das Mães da Praça de Maio – Argentina.

O avanço das lutas em toda a América Latina e aqui no Rio de Janeiro em particular, nos coloca desafios que precisam ser pensados e articulados tanto em nível local como regional. A desmilitarização é pauta em toda América Latina. O flagelo do pagamento da dívida pública idem.

Na quarta feira, dia 9 de outubro, haverá uma importante atividade para discutir esses temas. Compas do Haiti, Honduras e Paraguai que sofreram golpes institucionais estarão presentes. Além de Nora Cortiñas Mãe da Praça de Maio, Argentina, que há mais de 35 anos luta por memória, verdade e justiça em toda nossa amada América Latina.

Mas faz-se importante debatermos mais especificamente sobre os impactos da militarização e do endividamento sobre a vida das mulheres. Formas de violência que afetam nossas vidas cotidianas e que nem sempre recebem a devida visibilidade e atenção, mesmo entre os setores organizados.

No Brasil e no Rio de Janeiro, em particular, o avanço dos megaeventos vem provocando uma série de impactos que afetam as camadas mais vulneráveis da população. São as remoções, a implantação de espaços de exceção na cidade, privatização do espaço e recursos públicos, a militarização da cidade, com as UPPs, entre outros.

Alguns destes impactos já conhecemos de longa data. A repressão policial nas favelas, afetando principalmente a juventude negra, não nos deixa mentir. Somados aos processos de privatização e precarização dos serviços públicos de saúde, educação, transporte e outros, ampliam-se processos de criminalização da pobreza e das lutas sociais.

Como isto tudo afeta a vida das mulheres?

Venha debater conosco! Contaremos com a presença de Nora Cortiñas, uma das fundadoras das Mães da Praça de Maio e defensora dos direitos humanos pela verdade e pela justiça.

Participe e ajude a divulgar!

Quando?

Dia 8 de outubro, terça feira, de 16h30 às 19h.

Onde?

Sindicato dos Jornalistas – Rua Evaristo da Veiga, 16, 17º andar – Centro

Jubileu Sul Américas e Brasil, Movimentos contra a Violência, PACS,Rede de Comunidades e Tortura Nunca Mais/RJ