Conferência dos Bispos do Brasil enfrenta o tráfico humano

Na quarta-feira de cinzas, como acontece tradicionalmente, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança em várias partes do país a Campanha da Fraternidade, que neste ano tem como tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e lema “Para Liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5,1)”. O tráfico humano passa agora a ser tema de estudos para que se possa compreender e vivenciar melhor a Campanha da Fraternidade (CF) 2014.

No dia 20 de fevereiro, o tráfico de seres humanos foi tema de reflexão e oração por parte de 30 pessoas consagradas reunidas no encontro do ‘Religiosas e Religiosos Brasileiros em Roma (RBR)’, que aconteceu no Colégio Pio Brasileiro. Após assistir ao vídeo “Tráfico Humano” (da Verbo Filmes) os religiosos trocaram impressões e apontaram os desafios que a Campanha traz para os que vivem na Europa e especialmente em Roma. Para o padre Júlio Cesar Werlang, da Congregação dos Missionários da Sagrada Família, as ações em torno da Campanha da Fraternidade devem contemplar ações coordenadas que envolvam instituições civis.

Na oportunidade, foi lembrada a situação de bolivianos que vivem em São Paulo em condições análogas à escravidão, mas não têm consciência desta situação. E muitos dizem preferir estar no Brasil, mesmo trabalhando 16 horas diárias, pois ainda conseguiam fazer as três refeições, enquanto que, na Bolívia, só conseguiam comer uma vez ao dia. Na Itália, e mais especificamente em Roma, o problema é o aliciamento de homens e mulheres para a exploração sexual e as falsas promessas de emprego.

Ao final do encontro, religiosos e religiosas assumiram o compromisso de realizar algumas ações concretas, entre elas: difundir a temática com o máximo de dados possíveis nos sites das Cúrias Gerais; sensibilizar as pessoas em relação à Copa do Mundo que irá acontecer no Brasil com a seguinte proposta: “Não ao tráfico humano: jogar com alegria sim; jogar com a vida das pessoas não”; e utilizar a ocasião da Caminhada Anual da Fraternidade feita pelas ruas de Roma no dia 6 de abril, com término na Praça São Pedro (durante o Ângelus com o Papa Francisco), para sensibilizar para a temática.

Para saber mais sobre o tema

Os interessados em se aprofundar na temática da Campanha da Fraternidade podem realizar um curso à distância oferecido pela CNBB e supervisionado pela equipe executiva da CF. O curso tem 40 horas e a duração de 40 dias, estando dividido em quatro módulos: 1. O tráfico humano no contexto da globalização, com foco na mobilidade e trabalho, e as formas de enfrentamento ao tráfico humano, 2. A iluminação no Antigo e Novo Testamento, 3. Propostas para o enfrentamento do tráfico humano e canais de denúncia e 4. Histórico e sentido da Campanha da Fraternidade no Brasil.

As inscrições para o curso podem ser feitas pelo site: www.solarconsultoria.com

Adital