Mesoamérica em Movimento ante a RIO+20

Jubileu Sul, juntamente com outros movimentos e organizações sociais envolvidos na construção da Cúpula dos Povos, que se realizará no Rio de Janeiro de 18 a 23 de junho de 2012, fazem um chamado à mobilização e à coordenação de atividades em todo o mundo, em defesa da justiça social e ambiental, dos bens comuns e contra a mercantilização da vida e da natureza, no marco da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20)

Estamos construindo juntxs, como atividade desse processo de articulação, a Assembleia Permanente dos Povos, a realizar-se na Rio+20.

Convocamos a envolver-nos nesse processo e a mobilizar-nos em cada lugar, cada caminho a Rio+20, impulsionando campanhas e iniciativas de debate e de formação; de ampliação de plataformas de estratégia e ação conjunta; de coordenação e apoio solidário entre as lutas concretas e as demandas aglutinadoras. Chamamos aos povos e movimentos em luta contra todas as formas de exploração, depredação e dominação, a unir-se conosco em uma Assembleia Permanente dos Povos, onde afirmaremos nossos direitos e os direitos da natureza frente à mercantilização da vida e do “reverdecimento” do capitalismo, sobre a retórica da “economia verde”, incluindo os megaeventos, os monopólios de terras, os megaprojetos, os mecanismos chamados de desenvolvimento limpo e outras tantas siglas e nomes enganosos, como REDD, REDD+ e biocombustíveis.

Ante essa realidade, precisamos converter a Rio+20 em um processo mundial de forte mobilização, que confronte a realidade de um sistema de morte que busca perpetuar-se a qualquer custo e fortaleça as lutas e resistências por nossa sobrevivência, através da construção de alternativas não capitalistas, como a soberania alimentar.

Chamamos a mobilizar-nos para construir a Cúpula dos Povos por justiça social e ambiental; contra a mercantilização da vida; e em defesa dos bens comuns; e a Assembleia Permanente dos Povos sobre a base de múltiplas lutas em curso, em defesa da vida, da soberania -alimentar, energética, financeira, territorial, política-, a autodeterminação e a igualdade; a defesa dos direitos humanos e da natureza, analisando as origens das presentes crises e das novas modalidades de acumulação capitalista, de colonização e de escravidão.

Unamo-nos como movimentos, organizações e redes sociais para assegurar que Rio+20 se converta em uma grande mobilização popular que fortaleça as bases locais, regionais e mundiais necessárias para enfrentar a avançada verde do capitalismo. Rio+20 tem que ser um ponto de partida para uma sociedade mais justa e mais solidária.

Esperamos a todxs para construir juntxs! A vida não se vende, se defende! Os povos somos os credores! Globalizemos a luta, globalizemos a esperança” Seguiremos em marcha até que todxs sejamos livres!

Assista aqui video.

Jubileu Sul Mesoamérica / Jubileo Sur Américas

www.jubileosuramericas.org / www.jubileubrasil.org.br