Projeto “Nós, mulheres, em defesa e na luta por direitos” inicia atividades em São Paulo

Por Rogéria Araújo

No município de Campo Limpo Paulista, em São Paulo, um grupo de mulheres se reuniu no dia 13 de novembro para conversar sobre o que podem mudar na realidade em que vivem. Este primeiro encontro marcou o início do projeto “Nós, mulheres, em defesa e na luta por direitos”, realizado pela rede Jubileu Sul Brasil.

Neste primeiro encontro, explica Regina Rodrigues, as mulheres puderam conhecer mais o projeto e o papel protagonista que elas podem ter para mudar a realidade em que vivem. Através de uma dinâmica, foi pedido para as participantes associarem a figura feminina com o que achavam mais relevantes em seu território. O resultado ficou em torno da questão do meio ambiente e da natureza.

“Nós fizemos essa dinâmica para levantar que assunto teria mais relevância para elas nesse momento, o que nós poderíamos discutir e que temas poderíamos aprofundar com elas para termos resultados. Então surgiu o meio ambiente e daí a preocupação com coleta seletiva, destino dos resíduos, etc”, falou Regina, integrante da Pastoral Indigenista e participante do projeto, através do Conselho Indigenista Missionário (CIMI-SUL).

O próximo encontro está marcado para a primeira semana de dezembro, onde já se esperam sair com encaminhamentos concretos que visam, inclusive, diálogo com o poder público para tratar das demandas acerca do meio ambiente.

O projeto “Nós, mulheres, na defesa e na luta por direitos” ocorrerá nos territórios de Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e São José dos Campos e tem por objetivo realizar um ciclo de formação ao longo de um ano e fortalecer os coletivos de mulheres nestes territórios articulando com as lutas já em curso. O projeto é uma realização da rede Jubileu Sul Brasil com apoio do Instituto Irmãs da Santa Cruz, Adveniat e Cafod.