Contra a OMC – Organizações realizam Fórum sobre o livre comércio, dívida e poder corporativo

Por Rogéria Araujo | Comunicação Jubileu Sul Brasil

De 11 a 13 de dezembro, em Buenos Aires, Argentina, movimentos sociais, organizações e ativistas participam da Cúpula dos Povos “Fora OMC – Construindo Soberania”, que acontece como contraponto à XI Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio, realizada no mesmo período. A proposta da Cúpula é pautar temas e discussões nos quais o modelo econômico adotado pelos países interfere direta ou indiretamente na soberania dos povos.

Ontem, 11, numa das atividades autogestionadas da Cúpula, aconteceu o Fórum Direitos e Soberania Frente ao Livre Comércio, à Dívida e ao Poder Corporativo. O objetivo da atividade foi apresentar os pontos relevantes sobre impunidade do poder corporativo, do sistema da dívida e do regime de comércio e proteção dos investimentos que não privilegia o povo, mas sim os investidores especulativos e o mercado. Também teve como proposta debater alternativas e identificar as principais lutas e campanhas que são organizadas em resistência a este modelo desde os territórios.

“Precisamos articular e unificar estas lutas, bem como gerar canais de comunicação e troca para conseguir unidade e ter pontes que nos permitam avançar em alternativas”, afirma a organização do Fórum. Entre os/as participantes estavam Beverly Keene (Diálogo 2000), Martha Flores (JS/A), Camille Chalmers (Papda), Adolfo Pérez Esquivel (Prêmio Nobel da Paz), Gonzalo Berrón, María Elena Saludas e Cecilia Olivet.

O Fórum foi organizado pela Attac – Argentina, Diálogo 2000, CADMT, Jubileu Sul/Américas, Campanha Global para Reivindicar a Soberania dos Povos, Acabar com o Poder das Transnacionais, Fase (Brasil), Cedib (Bolívia), Rede Sombra de Observadores sobre Grecore, Comitê Daniel Gilliard (Bélgica), Attac (Áustria), Fundação Solón (Bolívia), Coalizão Global Forest, Sindicato Lab (País Basco), PoweShhft, entre outras.

A Cúpula dos Povos “Fora OMC” faz parte da Semana de Ação Global contra a Organização Mundial do Comércio, que começou dia 7 e segue até amanhã, 13.