Projeto “Nós, mulheres, na defesa e na luta por direitos” se reúne em Contagem (MG)

O projeto “Nós, mulheres, na defesa e na luta por direitos”, que tem por objetivo fortalecer a organização a partir das ações das mulheres em seus territórios, aportou na noite do último dia 16 de janeiro, no bairro São Mateus, no município de Contagem, em Minas Gerais (MG). O projeto é coordenado pela rede Jubileu Sul Brasil e implementado no território mineiro pela Rede Nacional Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.

A reunião teve por objetivo apresentar o projeto às mulheres e identificar suas principais demandas a fim de, nas futuras atividades, trabalhar formas para que essas mesmas demandas encontrem soluções através da auto-organização e protagonismo feminino. O encontro contou com mulheres que exercem diferentes funções, como cabeleireiras, artesãs, estudantes, assistentes de vendas, comerciárias, diaristas, pastoras da Igreja Universal, com idades variando de 20 anos aos 60 anos. Em comum todas elas são donas de casa.

Ermelinda de Melo e Dirlene Marques apresentaram o projeto e discutiram coletivamente outros temas como o papel da mulher na sociedade e a importância de fortalecer os lações de solidariedade para que se estabeleça uma relação de força e confiança. “Foi muito enfatizado a preocupação de, a partir dos problemas locais, visualizar a situação nacional e internacional, que não existe um isolamento entre estas instâncias. E, que só se conquista melhorias com unidade e luta”, relataram as integrantes da Rede Feminista de Saúde.

Em seguida, as participantes – cerca de 30 pessoas, entre mulheres e crianças – puderam compartilhar suas vivências e experiências no bairro, apontando problemas como o isolamento, já que geograficamente o bairro está mais perto de Belo Horizonte do que de Contagem, tornando mais difícil a locomoção e levar as reivindicações às autoridades de Contagem. O grupo, que contou com a presença da liderança local, Simone Miranda, também relatou outros problemas: passagens caras, postos de saúde precários na redondeza, ausência de ginecologista, de farmácia popular, falta de oportunidade para geração de renda, alta taxa de analfabetismo, fechamento de equipamentos educativos e culturais que existiam.

A próxima reunião do grupo está marcada para o dia 1 de fevereiro e as atividades devem se dar em forma de “Rodas de Conversa”. O grupo também já deu início a um processo de diagnóstico do território.

O projeto “Nós, mulheres, na defesa e na luta por direitos” ocorre nos territórios de Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e São José dos Campos e tem por objetivo realizar um ciclo de formação ao longo de um ano. O projeto é uma realização da rede Jubileu Sul Brasil com apoio do Instituto Irmãs da Santa Cruz, Adveniat, Cafod e DKA..