Paróquia solar

Por Ivo Poletto, do Fórum MCJS

Foi muito bom participar da inauguração da produção de energia solar fotovoltaica na paróquia Sant´Ana da cidade de Sousa, na Paraíba. Essa é uma história que começou em iniciativas ligadas à sociedade civil desta região do sertão paraibano, articuladas e animadas pelo Comitê de Energias Renováveis do Semiárido – CERSA. Foi o trabalho dessa articulação que tornou possível a aprovação do Projeto “Semiárido Solar” pelo organismo de solidariedade internacional da Igreja Católica da Alemanha, a Misereor, e de outros projetos, especialmente da Fundação Socioambiental CASA. Com isso, já foi implantado um número significativo de pequenos projetos de produção descentralizada de energia com fontes renováveis em dez municípios da região, com destaque para a transformação dos raios do sol em energia.

O primeiro destaque a ser dado ao projeto Paróquia Solar implantado na comunidade Sant`Ana é a acolhida do padre Paulo ao convite presente nesses pequenos projetos, no sentido de que todas as pessoas e instituições tomassem a decisão de entrar no caminho de produzir energia com fontes mais limpas e renováveis. Ao manifestar o desejo de implantar esse tipo de energia na sede paroquial, a paróquia foi apoiada com um dos pequenos projetos do Semiárido Solar, e ele tomou a iniciativa de dialogar com o empresário que que venceu a licitação, consultando sobre a possibilidade de ampliar a usina para produzir o total de energia que a igreja matriz, a casa paroquial, o centro de pastoral e quadra de esportes necessitam. O resultado foi um acerto de financiamento com a empresa, tonando possível pagar o investimento com prestações menores do que a paróquia já gastava todo mês com energia. Em outras palavras, em três anos, o único gasto será a taxa mínima cobrada pela empresa distribuidora de energia.

Mas esse é apenas o resultado financeiro. O mais importante é o trabalho feito com a comunidade no sentido de celebrar a produção de energia solar como prática de amor à Mãe Terra, deixando de usar energia produzida com exploração dos rios ou com queima de combustíveis fósseis, que aumentam o aquecimento global e agravam as mudanças climáticas. Essa prática já conta, com certeza, com a bênção de Deus, da Terra e dos pobres, que são os que mais sofrem com as mudanças climáticas.

Amigos e amigas, dialoguem em suas comunidades e com seus párocos para que sigam esse bom exemplo, fazendo que muitas ou todas as paróquias se tornem Paróquias Solares.
_________________________

Você também pode ouvir e compartilhar a reflexão de Ivo Poletto: