CEBI celebra 40 anos de educação popular e transformadora à luz da fé, do Evangelho

Por Comunicação da Rede Jubileu Sul Brasil com informações do CEBI Nacional

O Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos (CEBI) completou 40 anos de existência. A comemoração aconteceu no dia 20 de julho, no Convento do Carmo, em Angra dos Reis (RJ). Mesmo local, que há quatro décadas, pastor Jether Ramalho, Lucila Ramalho, frei Carlos Mesters, pastor Iranildes Dutra e irmã Agostinha Melo se reuniram para desenhar e construir a metodologia de estudo da Bíblia de maneira popular e acessível para todas e todos.

“O CEBI nasce, cresce e se fortalece ao longo de 40 anos no serviço da Palavra e da educação popular, da caminhada das comunidades e do povo organizado nos movimentos sociais e pastorais. O impulso para o nascimento do CEBI em 1979 se deve às provocações e, posterior  articulação com a CPT na luta pela e na terra; com a CPO na luta e defesa dos direitos dos trabalhadores; com o CIMI na luta em defesa das tradições e dos territórios indígenas; com a CPP e a defesa dos direitos dos pescadores”, aponta a coordenação do CEBI Nacional.

A leitura da Bíblia com o jeito do povo e fincada na realidade dele e em defesa da vida é a marca do CEBI, com uma Leitura Libertária, Popular e Ecumênica da Bíblia, um tripé, que para o CEBI, revela o que Deus pede, o que os pobres precisam e aquilo que o Evangelho do Reino exige. “É Palavra Acontecida na Vida”.

Jubileu participa da história do CEBI

Na celebração dos 40 anos do CEBI, em Angras dos Reis, diversas entidades marcaram presença, como o Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), Pastoral da Juventude Nacional e a Rede Jubileu Sul Brasil, na figura de Sandra Quintela, articuladora nacional da rede. O CEBI é membro da Rede.

“Nos últimos 20 anos, o CEBI decidiu não só se aproximar como também fortalecer a Rede Jubileu dada a sua escolha de contribuir na articulação da resistência latinoamericana no fortalecimento do Grito dos Excluídos, como também no questionamento da suposta dívida. Fazendo a leitura popular da Bíblia, o CEBI entende que a Bíblia é ferramente sócio-transformadora, instrumento para que se conquiste o Reino de Deu e a gente não acredita em Reino de Deus somente na eternidade, mas em Reino de Deus que começa em cada direito assegurado no Brasil e em nossa América Latina”, disse Edmilson Schinelo, membro do CEBI há 29 anos, atualmente voluntário.

Tarde de estudos bíblicos

A celebração dos 40 anos do CEBI também com apresentações culturais, rodas de conversa, memória e estudo entorno de temas Étnico raciais, feministas, sobre juventudes e ecumenismo.

“Cada grupo partilhou os seus frutos e desafios na conversa sobre Leitura Popular da Bíblia e memória da caminhada do CEBI com Frei Carlos Mesters, que apontou caminhos de superação dos fundamentalismos e intolerâncias no Brasil governado pelo ódio de um governo contra os trabalhadores, as mulheres, o povo, a juventude. As suas palavras trouxeram esperança e instigaram a reflexão e com o seu jeito cativante e simples animou a todas e todos”, informa a assessoria do CEBI.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A seguir

Rede Jubileu Sul Américas lança Campanha Dívida e Reparações para Haiti e Porto Rico

Rede Jubileu Sul Américas lança Campanha Dívida e Reparações para Haiti e Porto Rico