Organizações compartilham experiências sobre falências no Caribe

Camille Chalmers, porta-voz da Plataforma Haitiana em Defesa do Desenvolvimento Alternativo (PAPDA) | Foto JSA

Por Marga Parés Arroyo | El Nuevodía.com

Várias organizações nacionais e internacionais se reuniram nos dias 20 e 21 para compartilhar experiências entre os países do Caribe no seminário “Dívidas, privatizações e reparações”. O debate se concentrou nas experiências vividas em Porto Rico e Haiti.

“Necessitamos de uma conexão fraternal nas lutas entre os povos do Caribe”, disse Camille Chalmers, porta-voz da Plataforma Haitiana em Defensa do Desenvolvimento Alternativo (PAPDA). A meta do seminário, que conta com representantes de organizações do Haiti, República Dominicana, Trinidad e Tobago e Porto Rico, é evidenciar e conscientizar sobre os danos causados pelos processos de quebra em ambos países, disse Chalmers.

“Já não queremos aceitar a múltiplas formas de dominação que criam injustiças e fome”, sustentou Chalmers.

O economista e ativista político explicou que as organizações que participam do seminário trabalham a partir de distintas frentes a visibilidade das mais diferentes formas de resistência, desde a eliminação da dívida pública, a militarização e o livre comércio.

Mencionou que há dois casos emblemáticos que explicam a necessidade do conceito da reparação. Um deles, disse, é o caso de Porto Rico, com as experiências depois do furacão Maria sendo um país colonial dominado por um império. O outro caso, disse, é a epidemia de cólera que invadiu Haiti depois do terremoto de 2010 e pela qual, segundo indicou a Organização das Nações Unidas “não foi feito o suficiente” para indenizar pelos danos causados e para garantir novas formas de acessibilidade à água potável.

Eva Prado, porta-voz da Frente Cidadã pela Auditoria da Dívida, ressaltou que nos próximos meses se decidirá qual é o futuro de Porto Rico durante os próximos 40 anos, logo que os acordos que surjam da Junta de Supervisão Fiscal e sobre o pagamento da Dívida. Por isso, disse, a importância de desenvolver estratégias de solidariedade e confraternização com países irmãos.

Ana Sandoval, do Jubileu Sul Américas, insistiu na importância de conectar as ações de solidariedade, luta e resistência através de uma só voz. Por isso, hoje, se informou o lançamento da campanha “Haiti e Porto Rico: Dívida e Reparações”, que acontecerá ao longo de um ano.

“Esta atividade traz um novo elemento de exigir reparações, que não aceitamos a dívida e seguiremos lutando e exigindo aos Estados Unidos que a dívida é deles”, disse Luis Pedraza Leduc, do sindicato PRO-SOL UTIER.

Disse que espera que no seminário surja um plano de ação. Além disso, informou que dia 24 de setembro haverá um fórum aberto ao público sobre a situação da Dívida no Caribe. A atividade acontecerá na Ordem dos Advogados e Advogadas a partir das 18h30. [em San Juan, Porto Príncipe].

Tradução: Karla Maria | Comunicação Rede Jubileu Sul Américas

A seguir

Rede Jubileu Sul Américas lança campanha em solidariedade aos povos de Porto Rico e Haiti, no Rio

Rede Jubileu Sul Américas lança campanha em solidariedade aos povos de Porto Rico e Haiti, no Rio